Educação financeira é algo fundamental para que possamos alcançar a tão sonhada liberdade financeira.

Mas, afinal de contas… O que é a educação financeira? E mais, como aplicar isso no seu dia-a-dia?

É justamente sobre isso que iremos falar ao longo deste artigo, então pegue uma xícara de café, abra seu bloco de anotações e senta porque lá vem muitas dicas para melhorar as suas finanças pessoais!

O que é Educação Financeira

Hoje nós iremos falar sobre educação financeira, bem como lhe dar algumas orientações sobre o tema.

Decidimos falar sobre educação financeira porque tem muita gente falando por aí que investir é igual à educação financeira.

Provavelmente você viu a polêmica da Betina… e com isso tem muita gente defendendo que a educação financeira é basicamente investimento.

Mas, nesse artigo nós iremos lhe explicar que a educação financeira não é apenas investir.

Quando se fala em educação financeira, nós estamos falando de algo muito diferente.

Claro que educação financeira e investimento se completam, porém eles não se misturam.

Basicamente, a educação financeira primeiramente é uma ciência humana que trabalha o comportamento da pessoa, do ser humano, do seu ser.

Ou seja, nós estamos falando do equilíbrio entre este ser e o “ter”.

Afinal de contas, na educação financeira você também busca a autonomia, o controle do dinheiro que entra e do dinheiro que sai.

Ou seja, para buscar a sustentabilidade financeira.

Tudo isso, claro, com um objetivo bem claro: realizar sonhos.

Portanto quando a gente olha para o cenário brasileiro e vê mais de 60 milhões de brasileiros inadimplentes, sem dúvidas chegamos à conclusão de que essas pessoas precisam de educação financeira.

Note que elas não estão procurando investimento.

Por mais que as pessoas digam que você precisa investir, antes disso é preciso primeiro ganhar autonomia…

Saber exatamente para onde está indo cada centavo do seu dinheiro.

De fato, nós temos essa dificuldade no brasil. Ninguém aprendeu educação financeira porque é uma ciência nova.

Por isso, precisamos levar as pessoas a ter comportamentos e hábitos corretos de como utilizar o seu dinheiro.

Tanto o dinheiro que ela ganha, quanto – e principalmente – o dinheiro que gasta.

Logo, quando a pessoa começar a controlar seu dinheiro, automaticamente ela irá poupá-lo, economizar e criar reservas.

Com o tempo, essas reservas precisarão ir para algum lugar e aí sim que entram os investimentos.

Portanto, você precisa entender que educação financeira nada mais é do que ter absoluto controle sobre o seu dinheiro e conscientizar-se quanto aos seus gastos.

Já o investimento é aquilo que você fará com o dinheiro que começar a “aparecer” depois que você tiver total controle da sua vida financeira.

A importância da Educação Financeira

Quando começamos a receber nosso próprio salário, temos vontade de comprar um monte de coisas.

Neste momento percebemos as dificuldades de organizar nosso orçamento e equilibrar as contas…

E é aí que vem a importância da educação financeira nas nossas vidas. Basicamente, ela nos auxilia a tomar melhores decisões sobre nosso orçamento.

Por isso, o ideal é que as pessoas tenham um contato com o assunto o quanto antes. Por exemplo, crianças entre os três e os cinco anos já podem começar com um cofrinho para guardar uma pequena mesada.

Mais tarde, é importante ensinar a diferença entre:

  • Valor e preço;
  • Necessidade e gasto.

Quando você é educado financeiramente, você prioriza o seu futuro e aí passa a entender que investir na compra de uma casa, nos estudos ou na aposentadoria pode trazer muito retorno.

Outro ponto positivo da educação financeira é que você sentirá que menos imprevistos podem comprometer seu dinheiro.

Note que seu carro pode quebrar a qualquer momento, mas se tiver o costume de poupar, poderá quitar o gasto sem dor de cabeça.

Além disso, educação financeira é bom também para o futuro do brasil. Com consumidores conscientes teremos um país mais equilibrado e sustentável.

Educação Financeira: como fazer seu planejamento financeiro

Você sabe qual é a regra número 1 para viver com tranquilidade financeira? A regra é simplesmente gastar menos do que ganha.

É tão simples que às vezes dá até raiva.  As pessoas podem dizer: “Isso é muito simples. Não tem necessidade de ler um artigo sobre isso!”.

Mas vou te explicar porque essa regra é básica, porque você não consegue fazer isso (por mais simples que seja) e ainda darei 3 dicas para mudar esse cenário.

Neste tópico você irá encontrar três dicas absolutamente poderosas para você mudar sua vida financeira.

Se você quer ter tranquilidade e estabilidade financeira, você precisa gastar menos do que ganha – simples assim.

Por mais ridícula (e até idiota) que essa dica possa parecer, ela é a base do sucesso financeiro.  Temos mais de 60% da população endividada no país porque as pessoas não fazem o mais básico em relação ao dinheiro, que é gastar menos do que ganha.

Com isso, surgem uma série de reclamações e desculpas para justificar esse fato: “os  juros são muito altos”, “já vivo com o mínimo necessário”, “já analisei  meu orçamento eu não encontro onde ele possa ser diminuído”, “todo mês eu gasto tudo o que eu ganho e às vezes até um pouco mais e tenho que usar o cartão de crédito”.

Esses (e outros) maus hábitos financeiros levam ao endividamento. Isso gera uma vida financeira não muito próspera, cheia de incômodo e estresse, causando vários problemas todos os meses.

O básico é gastar menos do que ganha… mas como fazer isso? Vou te dar três dicas para chegar lá!

01 – Anotar todos os gastos nos próximos 30 dias

A dica número 1 é anotar todos os seus gastos nos próximos 30 dias.

Faça isso da forma mais simples possível, usando papel e caneta ou o aplicativo para notas no celular.

Depois desses 30 dias você terá um Raio-X da sua vida financeira. Assim, você poderá analisar todos os seus gastos e, com isso, encontrar onde estão os vazamentos do seu orçamento.

Essa análise vai deixar claro o quanto você está gastando comendo fora de casa, de supermercado, combustível, transporte…

Às vezes fazemos cálculos mentais e achamos que gastamos “somente R$100,00 comendo fora de casa”, mas quando colocamos na ponta do lápis, talvez vejamos que é R$200,00.

Talvez o mesmo aconteça com combustíveis e outras coisas.

A partir daí você poderá saber onde você pode reduzir um determinado gasto ou até mesmo eliminá-lo – talvez você veja que ele não é tão essencial e que causa um impacto muito grande na sua vida financeira.

Portanto, durante os próximos 30 dias, anote todos os seus gastos.

02 – Pague a si mesmo, primeiro

A dica número 2 é pagar a si mesmo primeiro.

Pense no que acontece quando você ganha seu dinheiro todos os meses: o dinheiro cai na sua conta e você paga a fatura do cartão de crédito, a conta do supermercado, abastece o carro, paga o condomínio, paga o aluguel…

Com isso, você está pagando ao dono do posto de gasolina, ao dono do supermercado, ao dono do seu imóvel, ao condomínio do seu prédio…

Você está pagando a todo mundo, menos a você.

Ficamos sempre naquela expectativa de investir “o que sobrar no final do mês”.  Mas todos os meses o dinheiro não sobra no final.

Não temos a disciplina de pensar num orçamento e segui-lo à risca.

Uma das formas de forçar essa disciplina é separar o dinheiro assim que ele entrar na sua conta – pelo menos 10%.

Esse valor pode ser até mesmo 50 ou 100 reais.

Vamos supor que você ganhe 1000 reais por mês.  Assim que esses 1000 reais caírem na sua conta, separe 100 e viva com os outros 900.

Se vire nos 30 dias que faltam, mas pague sempre a você primeiro. Crie o hábito de não gastar tudo o que você ganha simplesmente separando desde o começo do mês um pouco desse valor.

03 – Crie um fundo de emergência

A terceira dica é montar um fundo de emergência…

O fundo de emergência é uma reserva financeira.  Ele é feito para imprevistos. E imprevistos são coisas que você realmente não estava prevendo e não material escolar, IPTU, matrícula do seu filho – essas são coisas previsíveis e são uma questão de planeamento.

Um imprevisto pequeno pode ser uma peça do carro, um reparo na casa, um atraso de salário.  Um imprevisto maior pode ser uma despesa médica ou até mesmo a perda de um emprego.

A reserva financeira vai ajudar a cobrir esses gastos. Assim, quando acontecer o imprevisto, você não vai precisar recorrer aos empréstimos, ou ao cartão de crédito (sem saber se poderá pagá-lo no próximo mês).

Depois de ter anotado seus gastos, organizado sua vida financeira, estar pagando a si mesmo primeiro e estar acumulando dinheiro, você poderá ter um fundo de reserva para continuar com tranquilidade financeira mesmo durante os imprevistos.

Você pode recorrer a reserva para pagar aquela despesa pontual e, quando as coisas se regularizarem, você poderá repor o fundo.

Essas foram três dicas muito simples de como gastar menos do que você ganha e fazer seu planejamento financeiro básico.

Se você acha que não dá para gastar menos do que você ganha, saiba que sempre há espaço para fazer isso.

Eu tenho certeza de que você poderá mudar sua vida financeira com essas três dicas e certamente poderá viver com muito mais tranquilidade financeira.

Educação Financeira x Inteligência Financeira

Inteligência Financeira, você sabe o que é isso?

Muita gente ainda faz confusão entre educação financeira e inteligência financeira. Inteligência financeira é um produto educacional financeiro do curso Inteligência Financeira, que já transformou a vida de milhares de pessoas no Brasil e em outros mais 50 países.

Educação financeira é, fundamentalmente, a orientação que se dá para que você aprenda a organizar o seu orçamento, sair das dívidas e fazer investimentos.

E é incrível como essa educação, que até poucos anos atrás era ignorada por quase todos, se tornou moda aqui no Brasil.

Todos temos acesso a ela: Nas redes sociais, em cartilhas, em cursos, nas notícias em geral.  Nossos filhos, inclusive, já começaram a aprender em sala de aula, já que o tema, felizmente, passou a fazer parte da grade curricular.

O problema é que a moda da educação financeira ainda não se traduziu em prática na vida da maioria das famílias brasileiras.

Ainda falta a ela um ponto fundamental: a inteligência financeira que, em essência, é justamente a educação financeira transformada em prática.

Existem alguns critérios básicos para uma vida financeira saudável:

  • Hierarquizar gastos de acordo com o que você considera qualidade de vida;
  • Gastar menos do que se ganha;
  • Poupar os excedentes e investi-los para realizar objetivos de curto, médio e longo prazo.

Só que entre o conhecimento da teoria e a aplicação da mesma teoria na prática, há um longo caminho a ser percorrido.

Não é nada fácil convencer uma pessoa a aplicar R$ 50 por mês em suas reservas, quando esse dinheiro a obrigaria a abrir mão do salão de beleza ou do futebol semanal com amigos, por exemplo.

Para práticas como essas, na maioria das vezes, são tão importantes para a vida das pessoas que abandoná-las leva à frustração e consequentemente, à desistência do plano de construção de riquezas,  ainda mais quando se leva em conta o resultado irrisório que essa economia de R$ 50 mensais terá ao longo do ano.

Mas isso não é inteligência financeira.

Inteligência financeira é a capacidade de acionar alguns gatilhos cerebrais, alguns processos de compreensão das vantagens e benefícios que você terá, principalmente em curto prazo ao adotar ensinamentos de educação financeira.

É a prática de lidar com dinheiro de forma a tornar o seu cotidiano sempre mais rico, não só em relação aos recursos, mas principalmente, em relação as experiências e realizações.

Se, por exemplo, o salão de beleza, o futebol com os amigos são programas importantes para sua vida, você definitivamente não deve cortá-los.

Deve sim usar a sua criatividade, conhecimento e envolvimento para visualizar quais outros tipos de consumo podem ser cortados da sua rotina ou mesmo simplificados para conseguir poupar.

Se seus gastos básicos com moradia, transporte, educação dos filhos e alimentação têm te impedido de poupar, estude o que você pode mudar neles.

Quem mora em uma casa de R$ 500 mil, por exemplo, pode sempre se mudar para uma casa de R$ 400 mil, é preciso ajustar, com negociação em família e criatividade, as escolhas que mais pesam no seu bolso para que assim outras escolhas menores, igualmente importantes,  não deixem de existirem em sua vida.

Mas com planejamento, disciplina e comprometimento, você verá como com o tempo os resultados dessa poupança irão gerar em você uma motivação cada vez mais natural para que siga firme em seu projeto de construção de riquezas.

E Isso é inteligência financeira.

Educação Financeira nas escolas

Até 2020 todas as escolas, sendo públicas ou privadas, terão educação financeira.

Neste tópico nós iremos lhe explicar quais os perigos da educação financeira na escola e como uma boa metodologia pode ajudar.

A partir de janeiro de 2018, oficialmente faz parte da Base Nacional Comum Curricular que é o órgão que regula todo o ensino em nosso país, tanto na escola pública quanto na privada.

Agora a disciplina educação financeira passa a fazer parte do currículo.

A principal vitória dessa conquista é ajudar as famílias, porque a educação financeira tem essa relação. Por que ter educação financeira na escola? Porque da escola, que é onde colocamos as crianças, para que elas levem para as famílias, para terem educação financeira fazendo a diferença na vida dessas famílias.

E o melhor de tudo: Todas as redes receberão essa disciplina. Desde o infantil até o ensino médio, começando pelo ensino fundamental.

Mas o mais interessante foi resolver dentro de qual disciplina. A matemática será prioridade? Sim, mas não só ela. Qualquer matéria pode ter educação financeira.

Ciências, história, geografia…

O grande desafio está na capacitação dos professores no Brasil. Para que a sociedade comece a ter essa visão de que as escolas podem salvar as próximas gerações.

Como a educação é importante no país, trabalha-se a educação financeira como sendo a base curricular não só dos conhecimentos que a criança tinha, mas também da educação financeira.

Cada escola adota uma metodologia, um livro.

Temos um risco iminente nos próximos 5 ou 10 anos que é o seguinte:  Não adianta colocar um livro. O que precisamos é nos atentar fazendo com que esse movimento chegue de forma estruturada.

O risco é colocar algumas informações só para falar que tem educação financeira. Mas ela é uma ciência humana que trabalha o equilíbrio entre o ser, fazer e ter.

Trabalha a autonomia da criança em relação ao que fazer com o dinheiro que ela tiver.

E a educação financeira trabalha sonhos, os desejos dessas crianças. E não podemos esquecer o outro lado do muro que são as famílias.

Hoje também existem programas estruturados para essas famílias. Então eu diria que temos a solução, mas vai depender da nossa consciência como pais e professores de levar o conteúdo de um programa que envolve o professor capacitado, crianças estruturadas, material necessário e programa para a família o ano todo.

Falamos por alto, mas vocês não entendem o que acontece na cabeça das crianças.  E são elas que chegam para os pais para discutir os sonhos.

Faz a família sentar e escrever sonho por sonho e como realizá-los.  É maravilhosa as histórias que escutamos das crianças.

Elas têm transformado famílias que estão sendo construídas novamente por um caminho que ninguém pensava que é a educação financeira, que veio para completar o ensino e fazer com que a criança tenha autonomia.

Nós procuramos muito essa consciência da criança, mas as pessoas pensam que as crianças vão ser avarentas.

Nada disso. Estamos falando de equilíbrio entre ter sonhos e não deixar de consumir. Essa é a grande conquista efetiva que teremos no universo das escolas que levarão diretamente para as famílias.

Ou seja, a educação financeira chegou para ficar e tende a mudar o futuro do nosso país, seja dentro de casa ou na escola!

Livros sobre educação financeira que irão mudar sua vida

Se você quer mudar de vida, você vai precisar adotar novos hábitos. E, sem dúvida alguma, o hábito que mais causa mudança positiva na vida das pessoas é o hábito da leitura.

A partir do momento que você começa a ler livros que lhe interessam… Você vai gostando, percebendo os resultados, colocando em prática, enxergando cada vez mais resultados… Até que vira um vício. Um vício muito bom.

Hoje nós iremos compartilhar com você 05 livros que são capazes de mudar a sua vida!

Então, acompanhe este tópico até o final, porque nós temos certeza de que eles vão ser muito úteis para você!

01 – Pai Rico, Pai Pobre (Robert Kiyosaki)

O primeiro deles é o livro Pai Rico, Pai Pobre. Provavelmente, você já deve imaginar…

Esse livro foi escrito pelo Robert Kiyosaki, e é o primeiro livro de grande impacto na vida financeira de muitas pessoas.

Nós acreditamos que, lendo esse livro, você irá se apaixonar pela educação financeira.  E a paixão existe de duas formas…

Existe no sentido de você querer aplicar em sua vida… Mas como um hobby, como uma coisa que você quer adotar e não necessariamente se tornar profissional naquilo e existe o  outro tipo de paixão, aquela que você não só quer aplicar, mas também quer se tornar um profissional naquela área.

E o Pai Rico, Pai Pobre costuma causar esses dois impactos. Provavelmente você irá querer só adotar, mas partindo daquilo ali, estudar cada vez mais sobre educação financeira e compartilhar com outras pessoas.

Então, o livro Pai Rico, Pai Pobre traz uma série de lições.

A mais forte delas é o conceito de colocar o dinheiro para trabalhar para você.  A gente vive numa cultura, numa realidade em que nós somos meio que programados para trabalhar pelo dinheiro e todo aquele processo que você já deve conhecer.

Entre numa faculdade, tenha boas notas, se forme, arrume um bom emprego, contribua para a previdência, gaste menos do que você ganha para lá na frente você ter algum tipo de sucesso financeiro.

Mas tudo isso funciona do tipo… Existe uma fórmula para você sempre estar trabalhando pelo dinheiro e pouco se fala em colocar o dinheiro para trabalhar para você.

Não só investimentos para aposentadoria, mas uma série de outras coisas:

  • Você investir em ativos financeiros que dão retorno;
  • Você abrindo um negócio e colocando outras pessoas para trabalhar para você;
  • Usar o tempo de outras pessoas para trabalhar para você

Então, é uma série de pequenas lições que ele vai passando, mas que vai mudando totalmente seu mindset sobre dinheiro…

A forma como você enxerga o dinheiro, a forma como você enxerga a riqueza. Então, se você está vivendo numa bolha e ainda não leu o Pai Rico, Pai Pobre, eu recomendo que você pare tudo e leia o quanto antes porque o Pai Rico, Pai Pobre para mim, do ponto de vista financeiro foi o livro mais impactante.

E eu tenho certeza de que ele vai ser muito impactante para você também!

02 – Os segredos da mente milionária (T. Hary Eker)

O segundo livro foi Os Segredos da Mente Milionária do T.  Harv Eker.

Ele também é um livro muito impactante, porque nos mostra como é a forma de pensar das pessoas ricas e bem sucedidas.

Obviamente, não é só uma questão de “ter pensamento positivo e minha vida vai mudar”.  Não! Mas uma série de programações que você coloca em prática e você vai percebendo resultado ao longo do tempo.

Seja você, por exemplo, começar a assumir responsabilidade por tudo o que acontece na sua vida, não só as coisas boas, mas também as coisas ruins.

Em vez de você ficar reclamando, você ficar colocando a culpa no governo, no seu patrão, em Deus, no seu azar, nos seus filhos, nos seus pais….  Você simplesmente dizer: “Opa!  O principal responsável de tudo sou eu.  Seja pelas coisas boas que eu consigo, seja pelas coisas ruins que infelizmente eu consegui até agora, então eu vou ter que mudar.”

Parar de reclamar, parar de se queixar, parar de arrumar desculpa e começar a encontrar soluções para as coisas que estão aparecendo em sua vida.

Também para você parar de pensar pequeno e começar a pensar grande. Para você parar de enxergar problema em tudo e, em vez de ver um problema, você enxergar uma oportunidade naquilo ali.

Se existe algum desafio, você pode pensar como um problema aquele desafio e estagnar ou você pode ver… “Beleza, existe aquele desafio e eu vou superar esse desafio, qualquer que seja ele”.

Seja uma demissão, seja um problema de saúde, seja uma dificuldade de encontrar um novo emprego, de crescer profissionalmente ou de aumentar o seu salário… Qualquer que seja o problema, você enxergar aquilo como um desafio.

Mudando a forma que você pensa e mudando a forma como você vai ser os seus resultados, você programar seu orçamento…

Enfim, existe uma série de lições no livro Segredos da Mente Milionária que eu tenho certeza que se você ler esse livro de cabeça aberta, adotar essas mudanças em suas vidas… Eu tenho certeza que você vai mudar para muito melhor.

Então, eu recomendo, se caso você não tiver lido, leia os Segredos da Mente Milionária.  E se você só tiver lido uma vez, eu recomendo que você leia novamente porque é um livro que precisa ser lido e relido para que você, cada vez mais, fixe os conteúdos que lá estão.

03 – Trabalhe 04 horas por semana (Timothy Ferris)

Livro número 3: Trabalhe 4 Horas por Semana, do Tim Ferris.

O livro Trabalhe 4 Horas Por Semana nos mostra um novo conceito de trabalho…

Em vez daquele trabalho que a gente precisa trabalhar de 8h às 18h com 1 ou 2 horas de almoço, saindo de casa super cedo, chegando em casa super tarde, existem formas de você criar seu próprio trabalho.

Não necessariamente para você trabalhar de casa, mas para você terceirizar…

Um outro conceito e outra lição muito valiosa do livro Trabalhe 4 Horas Por Semana é olhar o pior cenário possível na hora de tomar uma decisão… E muitas vezes enxergar que aquele cenário não é tão assustador assim.

Muitas vezes, quando a gente quer tomar uma decisão, a gente fica morrendo de medo…

“Não, vai ser muito difícil.  Isso vai ser muito doloroso.  Vai ser muito arriscado.”  Mas muitas vezes nem para pra colocar no papel, para pra pensar.

Se o pior cenário acontecer, o que que vai, de fato, acontecer? Vamos pensar no pior cenário.

Será que ele vai ser tão ruim assim?

Por estas e outras lições muito valiosas, esse livro é super indicado não só por mim, mas por todo mundo aqui da redação do Portal i9!

04 – O Mensageiro Milionário (Brendon Burchard)

O quarto livro é pouco comentado. Trata-se do mensageiro milionário do Brendon Burchard.

Geralmente esses livros que levam o nome “milionário” na capa causam, em algumas pessoas algum tipo de… “Lá vem balela”.

Para ser sincero, eu sempre pensei assim também.  Pelo menos durante um bom tempo eu pensava assim.

Mas depois eu comecei a ver que não, isso é só uma forma de você chamar mais atenção para algo que tem conteúdo de valor.

Então, o mensageiro milionário, até como o próprio nome já diz, ele mostra como você pode passar sua mensagem e ser remunerado por isso.

Então, em termos bem gerais é isso…

É como você pode se tornar especialista em algo, mesmo sem ter estudado 10 mil horas, sem ter feito graduação e pós-graduação naquela área.

É como você pode remunerar o seu conhecimento. Como você pode ganhar dinheiro com o que você já sabe hoje, apenas refinando algum tipo de método, encontrando meios de propagar isso e a internet é excelente para isso.

É uma ótima forma de você, com um baixíssimo custo, criar conteúdos e alcançar cada vez mais pessoas.

Imagina você criar um vídeo que é visto por, sei lá, mil pessoas, 5 mil, 10 mil pessoas.  Quantas vezes, quantas possibilidades você teria na sua vida estar palestrando, estar falando com mil pessoas, estar falando com 10 mil pessoas.

Serão poucas vezes.

Dificilmente isso aconteceria, mas a internet te proporciona isso. Então, o livro mensageiro milionário é totalmente focado em mostrar o passo a passo que você deve seguir para transformar o seu conhecimento em renda.

O seu conhecimento numa fonte de receita para você!

Por isso, nós recomendamos o livro O Mensageiro Milionário.

05 – As Armas da Persuasão (Robert Cialdini)

O quinto livro é As Armas da Persuasão, do Robert Cialdini.

Por que que eu recomendo esse livro para você? Já na capa dele, ele tem uma frase que diz “como influenciar e não se deixar influenciar”.

Então, esse livro tem basicamente dois propósitos. O primeiro para você como consumidor de conteúdo, do que quer que seja… Ele mostra como funcionam essas táticas persuasivas, essas estratégias para fazer com que você compre mais.

De certa forma, ele mostra como você não se influenciar por coisas que você não quer.

Até mesmo sobre questões de opinião, sobre política, ou o que quer que seja. Ele mostra quais são os gatilhos mentais que ativam isso em você e faz com que você entenda quais deles você quer permitir, quais deles você não quer permitir.

Isso, de certa forma, vai te proteger não só de comprar coisas indesejadas, mas seguir pessoas, seguir estratégias ou opiniões que não vão fazer sentido para você.

Mas o ponto mais forte dele, na verdade, é para você como criador de um negócio, criador de conteúdo…

Ele é fantástico, porque ele mostra quais são os gatilhos mentais para você ativar uma pessoa, para você conseguir influenciar uma pessoa a tomar uma boa decisão, a fazer uma determinada compra.

E esses gatilhos são tão poderosos que eles vão funcionar tanto para coisas boas quanto para coisas ruins.

O que vai depender é o seu caráter de oferecer algo que seja realmente bom.

Então, se você tem um produto bom, se você tem um serviço bom, tem um conhecimento bom, é a sua obrigação alcançar cada vez mais pessoas porque você sabe que aquilo vai ajudar pessoas.

Então, entender como funcionam essas técnicas persuasivas, esses gatilhos mentais são fundamentais para fazer com que sua mensagem alcance cada vez mais pessoas e consiga ajudar cada vez mais pessoas.

06 – Livro Bônus: O Homem Mais Rico da Babilônia (George Clason)

E como dica bônus eu quero recomendar para você O Homem Mais Rico da Babilônia, do George Clason.

Por que que eu estou recomendando esse livro? Porque se você nunca leu nenhum dos 5 livros que eu falei aqui até agora, e você quer fazer sua primeira leitura… Quer fazer uma leitura para mudar sua vida financeira, eu acho que esse livro é o primeiro livro que você deve ler.

É o melhor livro para você começar uma mudança na sua vida financeira.

Ele tem conceitos muito básicos. É contado como se fosse uma parábola, uma historinha.  Então, ele é uma leitura super leve que tem conhecimentos simples, mas são muito poderosos.

Ele fala sobre orçamento, fala sobre você gastar menos do que você ganha, fala sobre você poupar uma parte do que você ganha para a aposentadoria.

Enfim, uma série de pequenas lições, lições simples, mas que são muito poderosas.

Então, se você nunca leu nenhum livro sobre educação financeira, eu acredito que esse livro seja o melhor livro para você começar.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here